ADORANDO VERDADEIRAMENTE – “Não farás para ti imagem de escultura”

“Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o YHWH, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos” (Êx 20.4-6)

INTRODUÇÃO

1. O primeiro mandamento lida com o quem da adoração. O segundo mandamento lida com o como da adoração. O primeiro mandamento proíbe falsos deuses. Este mandamento proíbe a falsa adoração.

a. Na verdade é um convite à verdadeira adoração (para cada negativa, existe uma correspondente positiva). Se eu digo: “não fique fora da casa”, estou dizendo: “fique dentro da casa”.

2. A idolatria é o maior de todos os pecados porque Jesus afirmou que o maior de todos os mandamentos é amar a Deus de todo o coração, alma e mente (Mt 22.37).

3. A Bíblia ensina que o homem não deve fazer ou ter imagens de Deus. Mas não a possuímos de uma ou de outra maneira, ou, pelo menos, não concebemos representações ideológicas ou projeções ideológicas de Deus?

O que é uma imagem:

1. Essa palavra é usada por todas as páginas da Bíblia para denotar uma representação material de um animal, de um ser humano ou de uma forma mista, usada para propósitos de adoração; e num sentido teológico ou metafórico para denotar uma relação entre o homem e Deus.

2. O teólogo holandês J. Van Imschoot argumenta que o antigo conceito de imagem “não era apenas uma semelhança do ser representado, mas participava dele, em certo sentido era ele mesmo”.

3. Nenhuma imagem construída pelas mãos humanas jamais pode representar com precisão a totalidade, a transcendência e a majestade de Deus. Não podemos nunca modelar, pintar ou esculpir nada que seja uma representação adequada do que Deus é. Fazer isso é pedir a um estudioso para explicar a história do mundo numa única frase ou … a um músico para executar a Quinta Sinfonia de Beethoven com um apito. É simplesmente impossível. É um absurdo até insinuar uma coisa dessas!

4. Qualquer imagem ou objeto que nos apegamos como representação divina é incapaz de retratar a plenitude da identidade de Deus. Isso certamente nos levará ao caminho tortuoso da desobediência.

João 4:24: “Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade”.

5. Idolatria é vista na Bíblia como adultério/ prostituição espiritual – Êx 34.16; Jz 2.17; 1Cr 5.25; Ez 6.9;

Ilustração:

Suponhamos que uma certa mulher entre numa sala e encontre seu marido abraçado com outra. Ele enxerga a esposa com o canto dos olhos e diz: “Veja bem, querida. Não quero que você entenda mal as coisas. Eu explico. Essa mulher aqui é tão linda que me lembrou você. Na verdade, eu estava apenas pensando em você enquanto a abraçava”. Ninguém engoliria essa história! Porque esperamos que Deus aceitaria?(Êx 20.5 – “zeloso” ciumento).

6. Deus não quer que transformemos Seu culto em ritos supersticiosos. O culto a Deus deve ser espiritual (“em espírito e em verdade”) e livre de aberrações, produto de uma mente corrompida.

VERSÕES DA IDOLATRIA (IDOLATRIA MODERNA):

Nem toda idolatria consiste de pau e pedra. Qualquer coisa que você amar mais que a Deus, qualquer coisa que você temer mais que a Deus, qualquer coisa que você servir mais que a Deus, qualquer coisa que você servir mais que a Deus, qualquer coisa que você der mais valor que a Deus, isso é o seu deus.

1. Astrologia – Dt 4.19,20; Is 44.25; Jr 10.2; Is 47.13; 2Re 17.16.

A astrologia não tem nenhuma relação com a astronomia. Enquanto a astronomia é uma ciência moderna e avançada, a chamada astrologia é a arte metafísica de adivinhar por meio de astros. O horóscopo nada mais é do que uma versão contemporânea popular e comercial do culto babilônico aos astros.

2. Ídolos dentro do coração – Ez 14.1-11.

Estes não estão visíveis e estão ligados á atitude do coração, mas desviam do Senhor e contaminam o pensamento humano (v.11) tanto quanto os ídolos visíveis e tangíveis.

Pode se materializar na pessoa de um artista, de uma denominação ou de uma personalidade religiosa:

Êxodo 32:24: “Então, eu lhes disse: quem tem ouro, tire-o. Deram-mo; e eu o lancei no fogo, e saiu este bezerro”.

Geralmente a idolatria interior aparece no exterior na forma de muitos “bezerros de ouro”.

3. Humanismo

Ter o próprio homem como deus. Esse foi o primeiro pecado: “como Deus sereis” (Gn 3.5). É a “eulogia” ou “egolatria” que substituiu a “teologia” (2Tm 3.2; Fp 3.19).

4. Hedonismo

O hedonismo (do grego hēdonē que significa prazer) é uma teoria ou doutrina filosófico-moral que afirma ser o prazer o supremo bem da vida humana.

2 Timóteo 3:4: “traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus”.

Quando ficamos em casa para assistir um programa de televisão ou uma partida de futebol em vez de ir ao culto, quem está sendo o nosso deus?

UM CONCEITO CORRETO DE DEUS

1. Se tivermos um conceito tortuoso de Deus, tanto nossa vida quanto nossa adoração serão igualmente empenadas.

2. Deus é um Deus indescritível. É uma tarefa permanente libertar-nos das nossas próprias imagens de Deus. Tendemos a moldar Deus de acordo com a nossa própria imagem e semelhança. Dessa forma, acabamos fazendo para nós uma imagem ao invés de termos um Deus.

3. Fatores que podem criar uma imagem (projeção) de Deus que não corresponde com o Seu caráter:

  • A cultura
  • Feridas na alma
  • Relacionamento com o pai terreno
  • Nossa auto-imagem
  • Interesses pessoais
  • Devemos ter cuidado para não contaminar o nosso espírito e, dessa forma, fazer uma imagem de Deus.

Jesus chama Deus de Pai, usando para o altíssimo uma figura de relação:

Mateus 11:27: “Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”.

1. Deus, como pai, é uma imagem que não limita e não nos faz apoderar-nos dEle, mas nos abrirmos e nos entregarmos.

2. As imagens que temos de Deus nascem da relação (e da revelação) que mantemos com Ele.

3. A imagem que temos de Deus será determinante na formação da nossa identidade:

2 Coríntios 3:18: “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”.

IMAGENS DAS PESSOAS

1. A proibição de fazer imagem também vale para o nosso próximo.

a. Ela não quer dizer apenas que não devemos idolatrar pessoas, a quem seguimos e adoramos de forma quase divina; não devemos enquadrar também a outros, não limitarmos às imagens que nós fazemos deles. Também a outra pessoa é um mistério que nós não entendemos.

b. As imagens enquadram as pessoas numa moldura que limitam aquilo que de fato elas são. Esta imagem acaba moldando as pessoas, ocupando o lugar da realidade e expulsando todas as outras possibilidades.

c. Quando alguém é “taxado” de algo. Quando formamos uma imagem de alguém, acabamos prejudicando essa pessoa.

d. Um outro fator do perigo de criar imagens das pessoas, é o fato de querermos criar clones, pessoas conforme a nossa própria imagem.

JESUS CRISTO É A PERFEITA IMAGEM DE DEUS.

Hebreus 1:3: “Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas”

Colossenses 1:15: “Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação”

Devemos contemplá-lo através da Palavra revelada pelo Espírito e por meio da adoração.

O EFEITO DA IDOLATRIA E DA VERDADEIRA ADORAÇÃO NAS GERAÇÕES

“Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos” (Vs 5,6).

  • Uzias (2Cr 26.16-19) – Entrou no templo e transgrediu adorando do seu próprio jeito. Um pai adorou a Deus de forma errada, e agora seu filho haveria de substituí-lo no trono.
  • Jotão (2Cr 27.2) – Um padrão estava começando a se formar. Jotão “não entrou no templo do Senhor”. Preferia ficar em casa a ir à igreja.
  • Acaz (2Cr 27.9; 28.2,24). Ele destruiu os utensílios da casa de Deus e fechou as suas portas. O primeiro adorou de forma errada, o segundo deixou de ir ao templo e o terceiro selou as portas! O pior: 2Cr 28.3!!

Como queremos ver os nossos filhos e netos??

Salmos 112:2: “A sua descendência será poderosa na terra; será abençoada a geração dos justos”.

Não três ou quatro gerações, mas milhares de nossos descendentes serão abençoados se ensinarmos fielmente a nossos filhos como cultuar o verdadeiro Deus.

2 Timóteo 1:5: “pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: