O Teste da Lã!

“E Gideão disse a Deus: “Quero saber se vais libertar Israel por meu intermédio, como prometeste. Vê, colocarei uma porção de lã na eira. Se o orvalho molhar apenas a lã e todo o chão estiver seco, saberei que tu libertarás Israel por meu intermédio, como prometeste”. E assim aconteceu. Gideão levantou-se bem cedo no dia seguinte, torceu a lã e encheu uma tigela de água do orvalho. Disse ainda Gideão a Deus: “Não se acenda a tua ira contra mim. Deixa-me fazer só mais um pedido. Permite-me fazer mais um teste com a lã. Desta vez faze ficar seca a lã e o chão coberto de orvalho”. E Deus assim fez naquela noite. Somente a lã estava seca; o chão estava todo coberto de orvalho” (Juízes 6.36-40)

INTRODUÇÃO

Esse texto tão curioso nos revela princípios espirituais essenciais para uma vida cheia do Espírito e como podemos transbordar essa vida de Deus. Vamos usar a figura dessa porção de lã representando dois tipos de cristãos. Que ao terminarmos essa lição, possamos nos posicionar como Deus deseja a fim de recebermos mais do Seu Espírito e sermos canais de bênção para outras pessoas.

A primeira porção de lã: uma vida sedenta de Deus

“Se o orvalho molhar apenas a lã e todo o chão estiver seco, saberei que tu libertarás Israel por meu intermédio, como prometeste”, disse Gideão. Essa figura retrata fielmente aquele indivíduo que realmente tem sede da presença de Deus a busca desesperadamente todos os dias de sua vida. Assim como a lã, essa pessoa é capaz de absorver “cada gota” da unção e da vida do Pai. Pessoas assim conseguem estar sempre cheias do Espírito Santo em quaisquer circunstancias, mesmo aquelas que lhe são adversas.

Assim como ao redor daquele novelo de lã imperava a sequidão e a morte enquanto ele estava encharcado, assim deve ser em nossas vidas: não importa a adversidade, ou o deserto que se estende ao nosso redor, devemos sempre transbordar da presença de Deus. Leia Eclesiastes 9.8. Nossa sede de Deus atrai a Sua presença mesmo quando estamos no deserto mais terrível. Devemos ser esses catalisadores que atraem essa plenitude em qualquer lugar. O fato de a lã estar molhada com o orvalho da noite mostrou a Gideão que Deus livraria Israel da mão de seus inimigos. O Cristão cheio do Espírito é certamente um sinal de Deus para o lugar onde se encontra, pois o Senhor o usará para transformar e salvar vidas.

A segunda porção de lã: uma vida sem expectativa de Deus

É impressionante, mas quando somos duros e resistentes a Deus, não conseguimos receber nada que Ele faça, ainda que ao nosso redor o orvalho da Sua presença seja abundante. Na segunda vez Gideão observa que embora toda a terra esteja molhada, a lã não estava. Isso fala de pessoas que permanecem indiferentes e distraídas quando Deus está agindo, elas simplesmente têm um coração impermeabilizado pelo pecado e pela incredulidade. São pessoas que se mantém sempre na defensiva e conservam um espírito crítico e resistente a tudo o que Deus está falando. Sempre têm uma desculpa, um argumento. Assim como os religiosos da época de Jesus, não se abrem para que a bênção que está jorrando ao seu redor, lhes alcance também. Esse espírito crítico fazia com que esses religiosos se mantivessem frios e indiferentes mesmo testemunhando os poderosos milagres realizados por Jesus.

Que o nosso coração seja sedento de Deus a ponto de absorvermos Sua glória mesmo quando ela não parece estar fluindo com tanta intensidade, como foi o caso do orvalho. Para alguém que não tem expectativas por Deus, mesmo uma grande chuva não é capaz de atingir seu duro coração, mas para alguém que tem um verdadeiro desespero por Sua presença, um simples orvalho transforma-se num poderoso rio de vida. “É como o orvalho do Hermom quando desce sobre os montes de Sião. Ali o SENHOR concede a bênção da vida para sempre” (Salmo 133.3).

Como manifestar a vida de Deus

Vejamos o que Gideão fez com a primeira lã a fim de averiguar se ela realmente estava molhada pelo orvalho: “…Torceu a lã e encheu uma tigela de água do orvalho…”. Essa figura nos fala de quando somos “espremidos” pelas dificuldades da vida, quando estamos sendo provados e colocados numa prensa de tribulação. Deus usa situações de dificuldades a fim de manifestar Sua unção através das nossas vidas. Não é fácil sofrer a dor de uma rejeição, de uma traição, perseguição, calúnia etc, mas podemos ter certeza que nesses momentos nosso conteúdo interior, ou seja, aquilo que está armazenado em nossos corações será evidenciado.

São nesses momentos que podemos ver o quanto estamos cheios de Deus, manifestando Seu caráter (misericórdia, paciência, bondade, fidelidade, mansidão etc), ou de nós mesmos, manifestando orgulho e toda espécie de sentimentos e ações malvadas. Assim como Gideão encheu um vaso com aquela água, Deus também deseja nos usar para encher as pessoas sedentas deles com a Sua vida e com a Sua bênção.

CONCLUSÃO

Peça para que o Espírito Santo produza em seu coração uma sede desesperada pela presença de Deus. Busque diariamente um coração desejoso pelo Pai e por fazer aquilo que Lhe agrada. Só assim Ele o colocará como um canal de bênção para manifestar Sua vida na vida de outros.

Marcos Arrais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: